sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

É Fácil Falar

Analise: Quantos problemas você enfrenta todos os dias, desde o momento em que você acorda, até o momento em que você vai dormir? Quantos caminhos você tem que escolher? Quantas coisas você tem que optar fazer ou não? Quantas lágrimas você derrama em determinados momentos?
Agora pense: Quantas pessoas te dão apoio quando você precisa? Quantos amigos ficam do seu lado quando você precisa de ombro, de colo? E na sua família, quantas pessoas ouvem - mas realmente ouvem - o que você tem a dizer, ouvem suas lamentações?
Ser bom ouvinte e bom conselheiro, é uma dádiva! Não é qualquer pessoa que consegue sentar, ouvir tudo o que você tem a dizer e que se propõe a resolver junto com você o seu problema; ainda que o outro não consiga resolver nada por você e que não consiga fazer a sua dor passar, só ter aquela pessoa ali, do seu lado, te ouvindo e te oferecendo colo já é a melhor coisa do Mundo.
Mas quantas pessoas sabem fazer isso? Quantas pessoas tem a sensibilidade de entender e respeitar o seu momento? Quem consegue entender o seu momento e entender que no momento da dor, você não quer um choque de realidade? Por mais que você já saiba da realidade, naquele momento, você só quer curtir a sua dor, você só quer uma companhia para te amparar e não que alguém fique ao seu lado dizendo 'eu te avisei' ou 'essa não é a sua primeira desilusão e nem vai ser a última'.
Sim, cada pessoa tem uma maneira de confortar o outro; porém, saber calar-se em alguns momentos, é essencial. Afinal de contas, a última coisa que alguém em pleno sofrimento quer ouvir é: 'Ah para de frescura! Você faz disso um evento, parece até que morreu alguém.'
Quem está de fora e que não tem a tal sensibilidade citada anteriormente, não sabe que REALMENTE para você tudo que está acontecendo é um evento sim, um tremendo evento! É a sua vida, ora bolas; aconteceu algo com você, você tem sentimentos e está sofrendo... E sim, morreu alguém! Um pedaço seu morreu, um pedaço seu está despedaçado; seja lá por qual motivo for.
Quando algumas pessoas dizem 'pra quem está de fora é fácil falar', é a mais pura verdade! Se você não tem envolvimento nenhum naquela situação toda, você dá milhões de opiniões e a maioria delas só fere ainda mais alguém que já está sofrendo horrores!
Por que a gente não aprende que uma pessoa em sofrimento não quer nada mais do que um colo para chorar? Muitas vezes ela nem precisa de palavras bonitas, de grandes filosofias, de grandes conselhos... Ela só precisa que você pegue na mão dela e diga: 'Estou aqui, conta comigo para o que precisar. Chora, coloca tudo para fora e saiba que meu ombro está a disposição.'
Sofrer não é frescura, sofrer não é fazer tempestade em copo d'água... Uns sofrem de uma maneira, outros sofrem de outra; algumas pessoas são mais intensas que as outras, é simples!
Temos que aprender a respeitar as especificidades - além de aprender a respeitar o espaço - dos outros; podemos ter maneiras de pensar bem parecidas às vezes, o que leva a aproximação de essa ou aquela pessoa, mas não somos iguais, não pensamos da mesma maneira, não agimos da mesma maneira, não sofremos da mesma maneira.
Passou da hora de aprender que calar e simplesmente ouvir, pode ser um santo remédio e uma ajuda imensurável ao outro; sim, é fácil falar, difícil mesmo é saber ouvir!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente Juliana... Estava sentindo falta desses textos *.*

    ResponderExcluir